segunda-feira, 12 de outubro de 2015

ADVÉRBIO

É um termo que modifica o sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio. O advérbio, como termo isolado, representa uma das 10 classes gramaticais das palavras. Já nas orações, o advérbio exerce a função sintática de adjunto adverbial. Vejamos alguns exemplos:

Você compreendeu-me mal. (A palavra mal acrescentou ao verbo compreender uma circuntância de modo)

Esta cidade é muito grande. (A palavra muito intensificou a qualidade contida no adjetivo grande)

Paulo jogou muito bem. (A palavra muito intensificou o sentido do advérbio bem)

Nos exemplos acima, as palavras citadas são advérbios.

O  advérbio é, fundamentalmente, um modificador do verbo, mas os de intensidade também podem modificar os adjetivos e advérvios.

Saliente-se ainda, segundo Celso Cunha, na sua nova gramática do português contemporâneo, que alguns advérbios modificam toda a oração:

Infelizmente, nem o médico lhes podia valer.

Neste caso, vêm destacado no início ou final da oração, separado por vírgula, representando uma pausa nítida.



CLASSIFICAÇÃO DOS ADVÉRBIOS

Os advérbios recebem a denominação da circunstância ou de outra ideia acessória que expressam:

Advérbios de afirmação: sim, certamente, deveras, incontestavelmente, realmente, efetivamente, etc.

Advérbios de dúvida: talvez, quiçá, acaso, porventura, provavelmente, decerto, etc.

Advérbios de intensidade: assaz, bastante, bem, demais, mais, menos, muito, pouco, quanto, quão, quase, tanto, tão, profundamente, ligeiramente, como, etc.

Advérbios de lugar: abaixo, acima, adiante, aí, além, ali, aquém, aqui, atrás, através, cá, defronte, dentro, detrás, fora, junto, lá, longe, onde, perto, acolá, algures (em algum lugar), alhures (em outro lugar), nenhures (em nenhum lugar), etc.

Advérbios de modo: bem, mal, assim, depressa, devagar, como, alerta, melhor, pior, aliás, calmamente, livremente, propositadamente, apenas, debalde, etc.

Advérbios de negação: não, tampouco (também não).

Advérbios de tempo: agora, hoje, amanhã, depois, ontem, anteontem, já, sempre, amiúde (repetidas vezes), nunca, jamais, ainda, logo, antes, cedo, tarde, afinal, breve, outrora, etc.


ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS

Por se empregarem nas interrogações diretas e indiretas, os seguintes advérbios são chamados interrogativos:

a) de causa: por que?

Por que choras?
Não sei por que choras.

b) de lugar: onde?

Onde mora?
Indaguei onde morava.

c) de modo: como?

Como aprendeu?
Perguntei como aprendeu.

d) de tempo: quando?

Quando voltas?
Pergunto quando voltas.

LOCUÇÃO ADVERBIAL

Chama-se locução adverbial o conjunto de duas ou mais palavras que funcionam como advérbio. De regra, as locuções adverbiais formam-se da junção de uma preposição com um substantivo, um adjetivo ou um advérbio. São elas: às claras, às cegas, à toa, às pressas, às vezes, de perto, sem dúvida, em silêncio e etc.

Fernanda sorriu em silêncio.

À semelhança dos advérbios, as locuções podem ser:

a) de afirmação (ou dúvida): com certeza, por certo, etc.

b) de intensidade: de muito, de pouco, etc.

c) de lugar: à direita, à esquerda, etc.

d) de modo: à toa, à vontade, etc.

e) de negação: de forma alguma, de modo nenhum, etc.

f) de tempo: à noite, à tarde, de dia, etc.

GRAUS DOS ADVÉRBIOS

Certos advérbios, como os de modo, são suscetíveis de gradação. Podem apresentar grau comparativo e superlativo como veremos a seguir:

COMPARATIVO DE...

a) IGUALDADE: tão longe, tão rapidamente como, tão depressa como, etc.
O filho andava tão depressa como o pai.

b) SUPERIORIDADE: 

b.1) Analítico: mais longe que, mais rapidamente que, mais depressa que, etc.
O filho andava mais depressa que o pai.

b.2) Sintético: melhor que, pior que, etc.
O filho jogava melhor que o pai.

c) INFERIORIDADE: menos longe que, menos rapidamente que, menos depressa que, etc.
O pai andava menos depressa que o filho.

SUPERLATIVO ABSOLUTO...

a) ANALÍTICO: muito longe, muito rapidamente, muito mal, etc.
Machado, o funcionário e diretor de repartição, muito mal se conhece.
O cavalo correu muito mal.

b) SINTÉTICO: longíssimo, rapidíssimo, otimamente, pessimamente, etc.
O cavalo correu pessimamente.


Na linguagem familiar, certos advérbios assumem forma diminutiva, mas com ideia de intensidade: agorinha, cedinho, pertinho, devagarinho (=muito devagar), etc.
Frequentemente, empregamos adjetivos como advérbios:
Ele falou claro (=claramente)
Ana tinha ido ao cinema, o que raro acontecia (=raramente)

OBS:
Quando numa frase dois ou mais advérbios em -mente modificam a mesma palavra, pode-se, pra tornar mais leve o enunciado, juntar o sufixo apenas ao último deles.
O aluno respondeu calma e respeitosamente.

PALAVRAS E LOCUÇÕES DENOTATIVAS

De acordo com a Nomenclatura Gramatical Brasileira, serão classificadas à parte certas palavras e locuções - outrora consideradas advérbios - que não se enquadram em nenhuma das 10 classes conhecidas. Essas palavras exprimem:


  • Afetividade: felizmente, infelizmente, ainda bem. (Felizmente não me machuquei)
  • Designação ou indicação: eis. (Eis o anel que perdi. Ei-lo!)
  • Exclusão: exclusive, menos, exceto, sequer, etc. (Não me descontou sequer um real.)
  • Inclusão: inclusive, também, mesmo, etc. (Eu também vou.)
  • Limitação: só, apenas, somente, etc. (Só Deus é perfeito.)
  • Realce: cá, lá, só, é que, etc. (Eu cá me arranjo)
  • Retificação: aliás, ou melhor, isto é, etc. (Venha ao meio-dia, ou melhor, venha já.)
  • Explanação: isto é, a saber, por exemplo. (O elementos do mundo físico são quatro, a saber: terra, fogo, água e ar.)
  • Situação: afinal, agora, então, mas. (Mas você fez isso, meu filho.)
Na análise, dir-se-á: palavra ou locução denotativa de exclusão, de inclusão, de realce, etc.

Questões que tratam deste assunto:

Questão 4 da prova do CESPE - BANCO DO AMAZONAS SA (2010)

Você também pode se interessar pela diferença entre bem-feito, benfeito ou bem feito.