domingo, 12 de dezembro de 2010

SUBSTANTIVOS

É a palavra que nomeia os seres reais, imaginários ou decorrentes de uma ação, qualidade ou estado.
Do ponto de vista funcional, o substantivo é a palavra que serve, privativamente, de núcleo do sujeito, do objeto direto, do objeto indireto e do agente da passiva.

Recentemente, tivemos eleições (2010) presidenciais no Brasil e a vencedora foi Dilma Rousseff. A pergunta é: como devemos chamá-la a partir de 2011? Qual o feminino de presidente?

Esta foi a grande dúvida de muitos telejornais. Uns dizem "A presidente, Dilma,...", outros dizem "A presidenta, Dilma,...". Quem está certo?

Resposta: As duas formas podem ser usadas segundo a gramática de Domingos Paschoal Cegalla.

O presidente (masculino) - A presidenta (feminino)
O presidente - A presidente (Substantivo comum de dois gêneros)

Feita esta observação inicial, vamos ao estudo dos substantivos.

Os substantivos classificam-se em:

a1) Simples - Apresentam apenas um radical.
garoto, árvore

a2) Compostos - Apresentam mais de um radical.
guarda-chuva, girassol

b1) Comuns - Os que designam seres da mesma espécie.
homem, país

b2) Próprios - Os que se aplicam a um ser particular.
Pedro, Brasil

c1) Primitivos - Não se originam de outra palavra.
laranja, pedra

c2) Derivados - Formam-se a partir de um primitivo.
laranjeira, pedreira

d1) Concretos - Os que designam os seres propriamente ditos. Seres de existência real ou que a imaginação apresneta como tais.
homem, cidade, Maria, Brasil, lobisomem

d2) Abstratos - Os que designam noções, ações, estados e qualidades, considerados como seres.
verdade, colheita, velhice, bondade

e) Coletivos - São os substantivos comuns que, no singular, designam um conjunto de seres ou coisas da mesma espécie. Abaixo segue alguns coletivos pouco conhecidos.

antologia - de textos seletos
arboreto - de árvores cultivadas
atilho - de espigas
cáfila - de câmelos
cainçalha - de cães
caterva - de animais, desordeiros, vadios
choldra - de malfeitores, canalhas, pessoas ordinárias
chusma - de criados, populares
fato - de cabras
grei - de gado miúdo, paroquianos, políticos
panapaná - de borboletas em banco migratório
plêiade - de pessoas notáveis, de sábios
réstia - de alhos, cebolas
ror - grande quantidade de coisas
tertúlia - de amigos, intelectuais, em reunião

OBSERVAÇÃO: Palavras de outras classes gramaticais podem ser substantivadas. Para isso, antepõe-se-lhes o artigo. Isto chama-se derivação imprópria. Mas a derivação imprópria não é somente a mudança de outra classe gramatical para a classe dos substantivos. Veja tudo sobre derivação em http://portuguesnaveia.blogspot.com/2008/04/formao-das-palavras.html.

"O morrer pertence a Deus" (Raquel de Queirós)

FLEXÃO DOS SUBSTANTIVOS
=========================

Os substantivos podem ser flexionados em GÊNERO, NÚMERO E GRAU. Flexão é a propriedade que o substantivo possui para indicar gênero (masculino ou feminino), número (singular ou plural) e grau (aumentativo ou diminutivo).

1 - FLEXÃO DE GÊNERO
Gênero é a propriedade que as palavras têm de indicar o sexo real ou fictício dos seres. Para os nomes dos seres vivos, o gênero, em geral, corresponde ao sexo do indivíduo. Já nos seres inanimados, o gênero é puramente convenvional.
o homem
a vaca
o planeta
a pedra


FORMAÇÃO DO FEMININO
O feminino se realiza, mais frequentemente, de 3 modos diferentes segundo Cegalla:

- flexionando-se o substantivo masculino:
filho - filha
garoto - garota


- acrescentando-se ao masculino a desinência -a ou um sufixo feminino:
autor - autora
cônsul - consulesa


- utilizando-se uma palavra feminina com radical diferente
boi - vaca
homem - mulher


Observem como se formam os femininos de alguns substantivos:

Masculino - Feminino

elefante - elefanta
parente - parenta, parente
presidente - presidenta, presidente
mestre - mestra
gigante - giganta
oficial - oficiala
aviador - aviadora
avô - avó
charlatão - charlatã
hóspede - hóspeda, hóspede
monge - monja
sultão - sultana
arrumador - arrumadeira
embaixador - embaixatriz, embaixadora
deus - deusa, déia
papa - papisa

SUBSTANTIVOS UNIFORMES EM GÊNERO
Nestes casos, os substantivos não se flexionam, sendo diferenciados em alguns casos pela flexão do artigo ou adjetivo que os acompanha. Dividem-se em:

- epicenos: Designam certos animais e têm um só gênero, quer se refiram ao macho ou fêmea.
o jacaré (macho ou fêmea)
a cobra (macho ou fêmea)

- sobrecomuns: Designam pessoas e têm um só gênero, quer se refiram a homem ou a mulher.
a criança (menino ou menina)
a testemunha (homem ou mulher)
a vítima (ele ou ela)

- comuns de dois gêneros: Sob uma só forma, designam os indivíduos dos dois sexos. Para se diferenciar substantivos masculinos e femininos, nota-se a presença do artigo ou adjetivo junto a eles.
o colega - a colega
artista famoso - artista famosa
esse dentista - essa dentista


OBS1: Existem alguns substantivos com gêneros incertos. Seguem abaixo alguns desses substantivos com o gênero que os gramáticos preferem:
a cólera = doença infecciosa
a personagem = pessoa importante, pessoa que figura numa história
a xerox (ou xérox - dupla prosódia) = cópia xerográfica, xerocópia
o diabetes ou diabete = doença que acumula açúcar no sangue
o telefonema = ligação telefônica

OBS2: O gênero dos nomes de cidade, em geral, são femininos.
a histórica Ouro Preto, a dinâmica São Paulo,...
Exceções: o Rio de Janeiro, o Cairo, o Porto
OBS3: Existem substantivos que têm um significado no masculino e outro no feminino.
o cabeça: chefe, líder - a cabeça: parte do corpo
o cinza: a cor cinzenta - a cinza: resíduos de combustão
o coma: perda dos sentidos - a coma: cabeleira
o crisma: óleo sagrado - a crisma: sacramento da confirmação
o guia: pessoa que guia outros - a guia: documento para efetuar pagamento

2 - FLEXÃO DE NÚMERO
Os números gramaticais, em português, são dois: singular e plural.

A formação do plural dos substantivos é feita de acordo com a terminação do singular deles.

- Substantivos terminados em vogal ou ditongo: acrescenta-se S ao singular.
mesa = mesas
javali = javalis
peru = perus
pai = pais
mãe = mães


Incluem-se nesta regra os substantivos terminados em vogam nasal. Como a nasalidade das vogais /e/, /i/, /o/ e /u/, em posição final, é representada graficamente por -m, e não se pode escrever -ms, muda-se o -m em -n. Assim:
bem = bens
flautim = flautins
som = sons


- Substantivos terminados em -r ou -z: acrescenta-se ES ao singular.
mar = mares
colher = colheres
rapaz = rapazes
cruz = cruzes


- Substantivos terminados em -al, -el, -ol, -ul: troca-se o -l final por IS.
animal = animais
papel = papéis
farol = faróis
paul = pauis
(terreno alagadiço, pântano)

- Substantivos terminados em -il: flexionam-se de duas maneiras:
a) os oxítonos mudam -il em IS:
funil = funis
fuzil = fuzis


b) os paroxítonos mudam -il em EIS:
fóssil = fósseis
réptil = répteis


- Substantivos terminados em -m: já comentado anteriormente, troca-se o -m por NS.
atum = atuns
refém = reféns


- Substantivos terminados em -n: acrescenta-se S ou ES ao singular.
hífen = hifens ou hífenes
pólen = polens ou pólenes
abdômen = abdomens ou abdômenes


- Substantivos terminados em -s: aqui, aplica-se duas regras:
a) os monossílabos e oxítonos formam o plural mediante a acréscimo de ES.
gás = gases
país = países


b) os paroxítonos e proparoxítonos são invariáveis.
o pires = os pires
o ônibus = os ônibus


- Substantivos terminados em -x: como os paroxítonos terminados em -s, os poucos substantivos existentes finalizados em -x são invariáveis.
o tórax = os tótax
a fênix = as fênix


- Substantivos terminados em -ão: Flexionam-se de 3 maneiras:
a) Um número pequeno de oxítonos e todos os paroxítonos acrescentam S no final.
cidadão = cidadãos
cristão = cristãos
órfão = órfãos
órgão = órgãos


Neste grupo se incluem os nonossílabos tônicos chão, grão e mão, que fazem no plural chãos, grãos e mãos.

b) A maioria muda a terminação -ão em ÕES.
balão = balões
coração = corações
fração = frações
nação = nações
vulcão = vulcões
casarão = casarões


c) Um reduzido número muda -ão em ÃES.
alemão = alemães
pão = pães
capitão = capitães


OBS: Alguns substantivos em -ão ainda não encontraram uma forma definitiva para o plural, sendo a forma -ões a mais aceita.
sultão = sultões ou sultãos
verão = verões ou verãos
vilão = vilões ou vilãos


PLURAL DOS SUBSTANTIVOS COMPOSTOS
Os substantivos compostos formam o plural de acordo com as seguintes regras:

1) Pluralizam-se os dois elementos, unidos por hífen, quando ocorre:

1.a) substantivo + substantivo
cirurgião-dentista = cirurgiões-dentistas
couve-flor = couves-flores
decreto-lei = decretos-leis


1.b) substantivo + adjetivo
amor-perfeito = amores-perfeitos
guarda-noturno = guardas-noturnos


1.c) adjetivo + substantivo
boa-vida = boas-vidas
má-língua = más-línguas


1.d) numeral + substantivo
segunda-feira = segundas-feiras
sexta-feira = sextas-feiras


Exceções: os grão-mestres, os grã-finos, os terra-novas, os nova-iorquinos, os são-bernardos, os são-paulinos.

2) Varia apenas o segundo ou o último elemento, quando houver:

2.a) elementos unidos sem hífen
aguardente = aguardentes
varapau = varapaus
ferrovia = ferrovias


2.b) verbo + substantivo
guarda-roupa = guarda-roupas
bate-boca = bate-bocas


2.c) elemento invariável + palavra variável
sempre-viva = sempre-vivas
vice-presidente = vice-presidentes


2.d) palavras repetidas
quero-quero = quero-queros
tico-tico = tico-ticos


3) Varia apenas o primeiro:

3.a) Substantivo + preposição + substantivo
pé-de-moleque = pés-de-moleque
chapéu-de-sol = chapéus-de-sol


3.b) Quando o segundo elemento limita ou determina o primeiro, indicando finalidade, tipo, semelhança.
navio-escola = navios-escola
salário-família = salários-família


4) Os dois elementos ficam invariáveis quando houver:

4.a) verbo +advérbio
os bota-fora
os pisa-mansinho


4.b) verbo + substantivo plural
os saca-rolhas
os guarda-vidas


PLURAL DAS PALAVRAS SUBSTANTIVADAS
As palavras substantivadas apresentam, no plural, as flexões próprias dos substantivos:
Ouviam-se vivas e morras.
Ouça com a mesma serenidade os sins e os nãos.


PLURAL COM MUDANÇA DE TIMBRE
Certos substantivos formam o plural com mudança de timbre da vogal tônica (o fechado - o aberto). É um fato fonético chamado metafonia.
corpo (ô) = corpos (ó)
esforço = esforços


PARTICULARIDADE SOBRE O NÚMERO DOS SUBSTANTIVOS
Existem substantivos que só se empregam no singular: o sul, o norte, a fé, a esperança.
Outros, só no plural: óculos, núpcias, pêsames, férias.

3 - FLEXÃO DE GRAU
O grau dos substantivos é a propriedade que essas palavras têm de exprimir as variações de tamanho dos seres. São eles: aumentativo e diminutivo.

Um substantivo pode apresentar-se:

a) com a sua forma normal: chapéu. boca.
b) com sua significação exagerada, ou intensificada disforme (GRAU AUMENTATIVO): chapelão, bocarra, chapéu grande, boca enorme.
c) com sua significação atenuada, ou valorizada afetivamente (GRAU DIMINUTIVO): chapeuzinho, boquinha, chapéu pequeno, boca minúscula.

Podemos inferir das letras b e c que tanto o grau aumentativo como o diminutivo têm formas sintéticas e analíticas.

b.1) Aumentativo sintético: chapelão, bocarra.

Forma-se com sufixos aumentativos, sendo os mais comuns:
-aça: barcaça, barbaça
-aço: balaço, atrevidaço
-alha: muralha, fornalha
-ão (com as variantes -alhão, -arão, -zarrão, -arrão, -eirão, -zão): narigão, porcalhão, casarão, homenzarrão, gatarrão, vozeirão, pezão.
-arra: bocarra, naviarra
-ázio: copázio
-ona: mulherona, pernona
-orra: beiçorra, cabeçorra
-uça: dentuça
-aréu: povaréu, fogaréu

b.2) Aumentativo analítico: chapéu grande, boca enorme

Na linguagem publicitária se diz: liquidação monstro, megaevento.

c.1) Diminutivo sintético: chapeuzinho, boquinha

Forma-se com sufixos diminutivos: Eis os mais comuns:
-acho: riacho, fogacho
-ebre: casebre
-eco: livreco, jornaleco
-ejo: lugarejo, animalejo
-elho: rapazelho, grupelho
-eto, -eta: poemeto, saleta
-ete: filete
-ico: burrico, namorico
-im: espadim, flautim
-inho: livrinho, dedinho
-inha: casinha, janelinha
-zinho, zinha: irmãozinho, irmãzinha
-isco: chuvisco, pedrisco
-ito, -ita: mosquito, senhorita
-oca: sitioca, engenhoca
-ola: sacola, bandeirola, rapazola
-ote: velhote, serrote
-ucho: papelucho
-(c)ulo, -(c)ula: glóbulo, homúnculo

c.2) Diminutivo analítico: chapéu pequeno, boca minúscula


OBS1: Como podemos notar, os aumentativos e diminutivos exprimem também deformidade, desprezo ou troça (zombaria). Dizemos, por isso, que têm sentido pejorativo ou depreciativo.
Exemplos: gentalha, narigão, povinho.

OBS2: Muitas formas originariamente aumentativas e diminutivas adquiriram, com o correr do tempo, significados especiais, por vezes dissociados do sentido da palavra derivante. Neste caso, não se pode mais, a rigor, falar em aumentativo ou diminutivo. São, na verdade, palavras em sua acepção normal. Assim:
cartão
folhinha (calendário)
colchão

OBS3: Na linguagem coloquial, é comum o emprego de adjetivos com as flexões próprias do aumentativo e diminutivo. Exemplos:
menino bonzinho, garota bonitinha
moço bonitão, homem espertalhão

Note-se que essas formas aumentativas e diminutivas dos adjetivos equivalem, geralmente, a superlativos:
areia branquinha = areia muito branca
moço bonitão = moço muito bonito

OBS4: No plural dos diminutivos em -zinho e -zito, flexiona-se o substantivo no plural, retira-se o s final e acrescenta-se o sufixo diminutivo. Observem os exemplos:
pãe(s) + zinhos = pãezinhos
animai(s) + zinhos = animaizinhos
flore(s) + zinhas = florezinhas
pé(s) + zitos = pezitos


-->

7 comentários:

Jomar Filho disse...

Muito bom. Obrigado por publicar esse tipo de material. Forte abraço.

Anônimo disse...

Estarei aguardando!

JAIRO disse...

Agradeço a publicação deste material, que muito serviu para dirimir algumas dúvidas que assolavam a minha pessoa.

Anônimo disse...

queria saber as letras dos substantivos que não se flexionam

Anônimo disse...

Homenzarrão*
esta escrito com m, mas é com N :)

Moisés disse...

Obrigado pela observação! Com certeza é com N kkk...

Anônimo disse...

Eu tbm acho Moisés kk