domingo, 15 de fevereiro de 2009

ANÁLISE SINTÁTICA

A análise sintática examina a estrutura de um período que pode ser dividido em orações e determina a função sintática dos termos de cada oração. Neste texto, daremos uma breve noção do que é frase, oração, período e falaremos dos termos que compõem as orações:

TERMOS ESSENCIAIS
Sujeito
Predicado
Predicativo

TERMOS INTEGRANTES
Objeto direto
Objeto direto preposicionado
Objeto direto pleonástico
Objeto indireto
Objeto indireto pleonástico
Complemento nominal
Agente da passiva

TERMOS ACESSÓRIOS
Adjunto adnominal
Adjunto adverbial
Aposto
Vocativo

Abordaremos o período composto por coordenação e o por subordinação em outros artigos.

FRASE
É todo enunciado capaz de transmitir tudo que pensamos a quem nos ouve:
Cuidado!
Que horror!
Por que agridem a natureza?

ORAÇÃO
É a frase que apresenta sujeito e predicado ou apenas predicado:
Nossa viagem será longa.
Choveu durante a noite.

PERÍODO
É um enunciado composto de uma ou mais orações. Pode ser simples (apenas uma oração) ou composto (mais de uma oração). De uma forma prática, cada oração é organizada em torno de um verbo:
Período simples:
O amor vence sempre.
Período composto:
O comandante garante que a tropa chegará a tempo.

Notem que, no simples, só existe um verbo ou locução verbal. Pode ser chamado também de oração absoluta. No composto, existem 2 ou mais verbos ou locuções verbais. No exemplo acima, temos a oração principal (O comandante garante) e a segunda oração, que, no caso, é subordinada (que a tropa chegará a tempo). Observem que cada oração tem seu verbo. Orações coordenadas e subordinadas fazem parte do período composto e serão estudadas em outros artigos deste blog.

TERMOS ESSENCIAIS

SUJEITO
É o ser do qual se diz alguma coisa. É constituído de um nome, pronome ou qualquer termo substantivado. O sujeito possui um núcleo que é o nome ou pronome e ao redor dele podem aparecer palavras secundárias como artigos e adjetivos:
Todos os ligeiros rumores da mata tinham uma voz para a selvagem filha do sertão.
Sujeito: Todos os ligeiros rumores da mata.
Núcleo do sujeito: rumores
O sujeito pode ser:

simples ou composto


Simples
Um só núcleo do sujeito:
O gato bebeu o leite.

Composto
Mais de um núcleo:
Jairo e Mônica foram à escola juntos.

expresso ou oculto

Expresso
Quando está explícito:
Eu viajarei amanhã.

Oculto
Quando está implícito:
Viajarei amanhã. (sujeito oculto: Eu, deduzido da desinência do verbo)

agente, paciente ou agente e paciente

Agente
Aquele que pratica a ação imposta pelo verbo:
O remorso atormenta o criminoso.

Paciente
Aquele que sofre a ação:
O criminoso é atormentado pelo remorso.

Agente e apaciente
Aquele que pratica e sofre a ação imposta por verbos reflexivos:
O vidraceiro feriu-se.

indeterminado 
Quando não se indica o agente da ação verbal. Pode-se apresentar de três formas:
1) Usando-se o verbo na 3ª pessoa do plural:
Atropelaram uma senhora na esquina.
2) Usando-se o verbo na 3ª pessoa do singular acompanhado do pronome se, que neste caso
passa a ser índice de indeterminação do sujeito:
Aqui se vive bem.

3) Segundo Cegalla, usando-se o verbo no infinitivo impessoal: (Item controverso)
É triste assistir a estas cenas repulsivas.

Orações sem sujeito
São constituídas com verbos impessoais. O conteúdo verbal não é atribuído a nenhum ser:
Ventava muito durante o desfile.
São verbos impessoais:1) Haver no sentido de existir, ocorrer, acontecer:
Havia quadros nas paredes.

2) Fazer, passar, ser e estar com referência ao tempo:
Faz muito calor naquela cidade.

3) Chover, ventar, nevar, gear, relampejar, amanhecer, anoitecer e outros que exprimem fenômenos meteorológicos:
Ontem choveu muito.

ATENÇÃO: Usados em sentido figurado, esse verbos têm sujeito.
Choveram pétalas sobre a imagem da santa.

PREDICADO
Há três tipos de predicado:
Nominal
Verbal
Verbo-nominal
PREDICADO NOMINAL
Seu núcleo é um nome (substantivo, adjetivo, pronome). É ligado ao sujeito por um verbo de ligação:
Nossas praias são lindíssimas.

Sujeito: Nossas praias
Núcleo do sujeito: praias
Predicado nominal: são lindíssimas
Verbo de ligação: são
Predicativo do sujeito: lindíssimas

ATENÇÃO: O predicativo do sujeito é uma qualidade ligada ao sujeito pelo verbo de ligação. São verbos de ligação: ser, estar, permanecer, ficar, parecer, etc.

PREDICADO VERBAL
Seu núcleo é um verbo seguido ou não de complemento ou termos acessórios. Classifica-se em:
Intransitivo
Transitivo direto
Transitivo indireto
Transitivo direto e indireto

Intransitivo
O verbo não precisa de complemento.
Carlos morreu.

Sujeito: Carlos
Predicado verbal: morreu (verbo intransitivo)

Transitivo direto
O verbo precisa de complemento que é ligado a ele de forma direta, ou seja, sem o auxílio de preposição. Este complemento chama-se objeto direto.
Comprei um novo aparelho.

Sujeito: Eu (oculto)
Predicado verbal: comprei um novo aparelho.
Verbo transitivo direto: comprei
Objeto direto: um novo aparelho.

Transitivo indireto
O verbo precisa de complemento que é ligado a ele de forma indireta, ou seja, com o auxílio de preposição. Este complemento chama-se objeto indireto.
Todos precisam de afeto.

Sujeito: Todos
Predicado verbal: precisam de afeto
Verbo transitivo indireto: precisam
Objeto indireto: de afeto

Transitivo direto e indireto
O verbo necessita dos dois complementos: o direto e o indireto.
A empresa fornece comida aos trabalhadores.

Sujeito: A empresa
Núcleo do sujeito: empresa
Predicado verbal: fornece comida aos trabalhadores
Verbo transitivo direto e indireto: fornece
Objeto direto: comida
Objeto indireto: aos trabalhadores

PREDICADO VERBO-NOMINAL
Tem dois núcleos significativos: um verbo e um nome. Formado por um verbo transitivo ou intransitivo e um predicativo do sujeito ou do objeto.
Isabel fez os doces nervosa.
Sujeito: Isabel
Predicado verbo-nominal: fez os doces nervosa
Verbo transitivo direto: fez
Objeto direto: os doces
Predicativo do sujeito: nervosa (...fez os doces e estava nervosa)

A ganância deixou pobre o avarento comerciante.

Sujeito: A ganância
Núcleo do sujeito: ganância
Predicado verbo-nominal: deixou pobre o avarento comerciante
Verbo transitivo direto: deixou
Objeto direto: o avarento comerciante
Predicativo do objeto: pobre

ATENÇÃO!! O predicativo do objeto é uma qualidade ligada ao objeto: O avarento comerciante está pobre.

PREDICATIVO
Há o predicativo do sujeito e do objeto.

PREDICATIVO DO SUJEITO
É o termo que exprime um atributo, qualidade, estado ou modo de ser do sujeito, ao qual se prende por um verbo de ligação, que está presente no predicado nominal e no verbo-nominal.
A casa era de vidro.
A vida tornou-se insuportável.
A ilha parecia um monstro.
O menino abriu a porta ansioso.

PREDICATIVO DO OBJETO
É o termo que se refere ao objeto de um verbo transitivo.
O juiz declarou o réu inocente.
Alguns chamam-no (de) impostor.
Os inimigos chamam-lhe (de) traidor.
A mãe viu-o desanimado.


TERMOS INTEGRANTES

OBJETO DIRETO
É o complemento de verbos transitivos diretos. Este complemento, normalmente, vem ligado ao verbo sem auxílio de preposição.
João comprou uma bola.

ATENÇÃO!!
O objeto direto torna-se sujeito da voz passiva.
Uma bola foi comprada por João.

OBJETO DIRETO PREPOSICIONADO
É o complemento de verbos transitivos diretos com o auxílio de preposição, geralmente a preposição a. Isso acontece principalmente:

1) quando o objeto direto é pronome pessoal tônico (obrigatoriamente preposicionado):
Deste modo, prejudicas a ti e a ela.

2) quando o objeto é pronome relativo quem (obrigatoriamente preposicionado):
Pedro Severiano tinha um filho a quem idolatrava.

3) Para evitar ambiguidades (obrigatoriamente preposicionado):
Convence, enfim, ao pai o filho amado.

4) Com os verbos que exprimem sentimentos, referindo-se a pessoas:
Judas traiu a Cristo.
Não amo a ninguém, Pedro.

OBJETO DIRETO PLEONÁSTICO
Quando se quer chamar atenção para o objeto direto que precede o verbo, costuma-se repeti-lo por meio do pronome oblíquo. A esse objeto repetido sob forma pronominal chama-se pleonástico, enfático ou redundante.
O dinheiro, Jaime os trazia escondico nas mangas da camisa.

OBJETO INDIRETO
É o complemento de verbos transitivos indiretos. Esse complemento vem ligado ao verbo por meio de preposição.
Os filhos precisam de carinho.
Assisti ao jogo.

OBJETO INDIRETO PLEONÁSTICO
À semelhança do objeto direto, o objeto indireto pode vir repetido ou reforçado por ênfase:
A mim ensinou-me tudo.

COMPLEMENTO NOMINAL
É o complemento de nomes (substantivos, adjetivos e advérbios) sempre regido de preposição, reclamado pela sua significação transitiva incompleta. Representa o recebedor, o paciente, o alvo da declaração expressa por um nome.
A defesa da pátria.
O respeito às leis.

ATENÇÃO!!
COMPLEMENTO NOMINAL X OBJETO INDIRETO
A diferença entre o complemento nominal e o objeto indireto é que este complementa verbos e aquele complementa nomes.

AGENTE DA PASSIVA
É o complemento de um verbo na voz passiva. Representa o ser que pratica a ação expressa pelo verbo passivo. Geralmente, vem acompanhado pela preposição por:
Uma bola foi comprada por João. (João praticou a ação de comprar)

ATENÇÃO!!
Na voz passiva pronominal ou sintética não se declara o agente:
Assobiavam-se as canções dele nas ruas.


TERMOS ACESSÓRIOS

ADJUNTO ADNOMINAL
É o termo de valor adjetivo que serve para especificar ou delimitar o significado de um substantivo. Pode ser expresso:

1) pelos adjetivos:
Na areia podemos fazer até castelos soberbos, onde abrigar o nosso íntimo sonho.

2) pelos artigos:
O ovo é a cruz que a galinha carrega na vida.

3) pelos pronomes adjetivos:
Vários vendedores de artesanato expunham suas mercadorias.

4) pelos numerais:
Casara-se havia duas semanas.

5) pelas locuções adjetivas:
Tinha uma memória de prodígio.

ATENÇÃO!!
ADJUNTO ADNOMINAL X COMPLEMENTO NOMINAL
Não se deve confundir o adjunto adnominal formado por locução adjetiva e o complemento nominal. Este é o paciente da ação expressa por um nome transitivo. Aquele representa o agente da ação ou a origem, qualidade de alguém ou de alguma coisa.
Eleição do presidente. (Presidente é paciente da eleição, sofre a ação)
Discurso do presidente. (Presidente é agente do discurso, pratica a ação)

O complemento nominal vem ligado por preposição ao substantivo, ao adjetivo ou ao advérbio cujo sentido integra ou limita. Já o adjunto adnominal serve para especificar ou delimitar o significado de um substantivo.

ADJUNTO ADVERBIAL
É o termo que exprime uma circunstância (de tempo, lugar, modo, etc.) ou, em outras palavras, que modifica o sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio. Pode vir representado:

1) por advérbio:
Aqui não passa ninguém.

2) por locução adverbial:
Lá embaixo aparece Jacarecanga sob o sol do meio-dia.

3) por oração adverbial:
Fechemos os olhos até que o sol comece a declinar.

APOSTO
É uma palavra ou expressão que explica ou esclarece, desenvolve ou resume outro termo da oração:
D. Pedro II, imperador do Brasil, foi um monarca sábio.
Casas e pastos, árvores e planatações, tudo foi destruído pela enchente.
Prezamos acima de tudo duas coisas: a vida e a liberdade.
Minha irmã Beatriz é linda.

ATENÇÃO!!
O aposto não pode ser formado por adjetivos. Nestes casos, tem-se um predicativo.
Audaciosos, os dois surfistas atiraram-se às ondas. (Audaciosos = predicativo do sujeito)

VOCATIVO
[do latim vocare = chamar]
É o termo usado para chamar alguém ou alguma coisa.
A ordem, meus amigos, é a base do gorverno.
Meu nobre perdigueiro, vem comigo!

ATENÇÃO!!
O vocativo é um termo à parte. Não pertence à estrutura da oração, por isso não se anexa ao sujeito nem ao predicado.


-->

49 comentários:

ANA LUIZA disse...

Que "achado" este blog, móises estas de parabéns!!!
:)

amei

Moisés disse...

Obrigado, Ana Luíza!!
São pessoas como você que me dão forças para continuar postando mesmo com pouco tempo.

RAQUEL disse...

eu tb adorei este blog


Continue por favor, postando sempreeee, mesmo com pouco tempo!!!
hehehehe

Moisés disse...

Não se preocupe, Raquel.
Irei postar sempre porque vocês merecem.:)

ana disse...

ta show exe blog me ajudou muito bgda

Elizane disse...

Perfeito! adorei este blog.
Precisamos de idéias como esta, páginas com conteúdos iteligentes...
Abraços Fica na Paz!

Anônimo disse...

Grande blog! Isto vai dar jeito para o exame de Português! :D

Continua!

erafontes disse...

Show de bola, parabéns Moises!!!!

Anônimo disse...

boa iniciativa. português é meio complicado.

Anônimo disse...

Olá, essa análise sintática segue qual gramático? Sr Bechara, Rocha Lima, Celso Cunha, Adriano Kury?

Moisés disse...

Utilizo, como base, as seguintes gramáticas:
Domingos Paschoal Cegalla
Celso Cunha & Lindley Cintra

Mas também utilizo outros autores como apoio para ver a tendência geral:
Cilene da Cunha Pereira
Renato Aquino
Nilson Teixeira de Almeida

mar.amaral disse...

perfeito este blog !!!! parabéns

Mika disse...

Muito bom este blog!

Anônimo disse...

Muito bom o blog, parabéns.. Acho q vou me dar bem na prova de portugues.. obg Lana aki

Rosane disse...

Bem explicado, consegui tirar várias dúvidas que não conseguia entender!!!Continue assim Moisés.

marcosladarense disse...

Como disse a Ana luiza: que "achado" este blog.

Me formei a pouco em análise de sistemas, idem a vc, moisés, e pretendo passar num concurso da área. E vc, é concursado?

Moisés disse...

Meru caro Marcos;
Obrigado por visitar meu blog. Espero que você volte sempre. Ainda não sou concursado, mas na boca de ser chamado em alguns concursos. Temos que ter paciência.

Xica disse...

Parabéns, Moisés...seu blog é muito bom e estou aprendendo umas dicas de português que iluminaram meus estudos, tens uma maneira clara e objetiva de repassar seu conhecimento.

Vandra

Anônimo disse...

Móises estas de parabéns!!!
Adorei o blog

Anônimo disse...

mestre, fiquei com algumas dúvidas, poderia me mandar teu e-mail para resolve-lás?

Laila Lais' disse...

Muito bem explicada a aula e o melhor, de está completa a aula de período simples,mas na verdade estou em busca da aula completa de período composto.

Moisés disse...

Procure por classificação das orações neste blog.

Mario disse...

3316Nossa, você está de parabéns Moisés.
Sou um aluno do 8 ano e tenho prova de português amanhã, tinha algumas dúvidas quanto a análise sintática, mas com esse blog maravilhoso tirei todas as minha dúvidas.
Parabéns e continue postando pois isso é muito bom, Parabéns Mesmo.

JJ disse...

Parabéns, é disto que a internet precisa. Conteúdo de qualidade.

Moisés disse...

Fico muito feliz em saber que o conteúdo montado por mim e baseado em gramáticos e autores de livros sobre Português tem agradado vocês, concurseiros. Quero dizer aqui que cada postagem é feita com muito carinho e dedicação, pensando na aprovação de todos. Para sermos aprovados, estudo e paciência são importantes. Em um comentário anterior meu, nesta postagem, dizia que ainda não tinha sido chamado em concursos que me classifiquei, mas, agora, já sou concursado. Por isso, a paciência também é importante, para que vocês nunca desistam! A fila anda, lembrem-se disso.

Anônimo disse...

Obrigada por ter me ajudado viu! Valeu muito isso aqui pra mim, obrigada mesmo...
que você seja recompensado por simplesmente querer ajudar o próximo!
Continue sendo assim e você chegará ainda mais longe..
Mais uma vez, obrigada!

Nair disse...

Nossa muito obrigada Moisés, você hoje foi a minha salvação!
Continue postando!!
Adorei a forma que você explica.

Moisés disse...

É sempre um prazer poder ajudar. Obrigado por todos os elogios que tenho recebido.

Isabel DarkGeek disse...

Ainda não dei 50% do que fora escrito, mas, me ajudou muito. Hoje tenho prova de português e espero que eu vá bem.
Vai cair Análise Sintática.

Moisés disse...

Boa sorte, Isabel! Você vai fazer uma boa prova. Pensamento positivo.

Anônimo disse...

parabêns!isso ajuda muitas pessoas

otimo trabalho

Moisés disse...

Obrigado, meu amigo! É sempre bom receber elogios como o seu.

Anônimo disse...

Parabens,Moises minhas chances de passar no concurso da pmerj aumentaram.

Moisés disse...

Fico muito feliz com essa notícia. Espero que você passe.

Anônimo disse...

Cara eu te amo kk, se não fosse você teria tirado uma nota vermelha em portugês.
Continue fazendo esse ótimo trabalho.

Moisés disse...

Que bom! Fico muito feliz com o seu progresso. Obrigado.

Anônimo disse...

Adorei este site!! Valeu Moisés !!!!!! <3

Moisés disse...

Que bom que gostou. O blog foi feito para vocês. Obrigado!

junior disse...

Moises esse blog e exelente

Moisés disse...

Muito obrigado. Sua opinião é muito importante para mim.

Augusto disse...

Moises, obrigado pelo blog! Sou de Moçambique, faz tempo que procuro me informar nesta matéria e por sorte achei o seu blog. Sucessos!

Marcela disse...

Nossa, amei o blog... entendi tudo! Obrigada mesmo!

Moisés disse...

Obrigado, Marcela. Fico muito feliz com isso.

Anônimo disse...

MUITO BOM ESSE BLOG SO SERIA MELHOR SE TIVESSE EXEMPLOS SUJEITOS
MAIS CONTINUA SENDO BOM:)

Andrei Santos disse...

Amigo, parabéns pelo trabalho. Quero discutir com você um período que você analisou.

É triste assistir a estas cenas repulsivas.

Nesse caso, o sujeito não seria indeterminado, a oração "assistir a estas cenas repulsivas" seria o sujeito da forma verbal "é". É um sujeito oracional, uma oração subordinada substantiva subjetiva. Na ordem direta fica claro:

Assistir a estas cenas repulsivas é triste.

Moisés disse...

Andrei, realmente, este é um assunto controverso, mas segundo Cegalla e Bechara, quando o verbo está no infinitivo impessoal, o sujeito é indeterminado.

Ex: (sujeito indeterminado)

É bom resolver o problema.
Navegar é preciso

Se ficar claro que é pessoal, como em:

É bom resolvermos o problema (sujeito oracional)

Claro que o assunto é controverso e devemos ter muito cuidado na hora da resposta porque têm gramáticos, como Celso Cunha, que não citam isso como sujeito indeterminado. Cabe olhar o programa do concurso e ver se a banca segue algum gramático, mas acredito que um item desse não seja pedido em prova. Não de uma forma que deixe margem para recursos.

No item do blog, segui o Domingos Paschoal Cegalla, mas cabe colocar uma pequena observação sobre o assunto.

Obrigado pela participação. Sua pergunta foi muito inteligente.

joao vitor paulo abrantes disse...

Cara, gostei moto msm do blog. Nn sabia nada da matéria, mas esse post me ajudou mtoooo

Anônimo disse...

Muito bom seu blog, parabéns

Moisés disse...

Que bom que gostaram. Continuem estudando aqui que a evolução é certa.